Skip to content

“Aqui ninguém vai pro céu” – Renato Miguel

by em 05/12/2013

GodMenAndWomen

“Quem há neste largo mundo que me confesse que uma vez foi vil?

Ó príncipes, meus irmãos,

Arre, estou farto de semideuses!

Onde é que há gente no mundo?”

Um dia eu andei pela praia e marquei uma areia que eu nunca espalhei. Mirei em volta e contemplei um mar que não me pertence. Olhei pra cima e vi estrelas e um céu que eu nunca criei. Senti no meu rosto um vento salgado que eu nunca soprei. Levei na pele as gotas da chuva que eu nunca chorei. Senti nos ossos os anos do tempo que nunca me chamou de senhor. E nos livros aprendi a história do mundo que eu não partilhei. Nas tempestades, ouvi em relâmpagos os acordes que eu não concebi. Nada disso eu fiz, nada disso eu sou, porque sou só um homem. Nunca neguei a falibilidade a outro homem, porque sou só um homem; dele nunca exigi a perfeição, porque sou só um homem.

 “Devolva minha vida e morra afogada em seu próprio mar de fel

Aqui ninguém vai pro céu”

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: