Skip to content

Poema Cinza – Carla Guedes

by em 04/04/2013

Mudando bruscamente, do Vermelho para o Cinza, prossegue a Parte II da Trilogia das Cores…

Cinza o tempo
Cinza o vento
Abril cheio de névoa e fuligem
Nesse cinzeiro atmosférico

Cinza a roupa,
O asfalto,
O metal,
O concreto

As cinzas no peito
E um coração
Em descoloração,
Estático…

O cinzel:
Outro coração
Assintomático.

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: