Skip to content

Confissões e Correspondências – Carla Guedes

by em 12/04/2012

Quero contar dos meus dias:
Da lua que procurei pela noite,
Do sol que vi brilhar pelas frestas
Da Baía esquecida e a Ponte,
Da fumaça que confunde a paisagem,
E daqueles que lotaram os ônibus
Entorpecidos de rotina e caos.

Quero contar do suor que verti copiosa,
Ainda que em salas refrigeradas.
Da voz que não saiu direito, da tosse,
Da prece improvisada, e do sono.

Quero contar que ainda há esperança,
E que as funduras dos rostos torpes
Jamais vencerão o brilho nos olhos.
Que quero fugir, e que é preciso ficar;
Que sem luta não há quem vença,
E que venço, a cada dia,
Pela certeza de que não há acaso…

Findo o ocaso, vou contando meus dias.
E aqui, ainda, vou contando as horas;
Agora, estou cantando ao vento:
Sei que ouves, mesmo que longe.

E eu tão longe, te querendo tão perto.

From → Carla Guedes

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: